Conhecimento · Debate · Direito · Esporte · Lei

As academias de ginástica não estão preparadas para pessoas com deficiência

Oi, gente!

Mais um texto para vocês. Hoje vamos conversar sobre um assunto que está me deixando bem chateada e, inclusive, já foi tema de vídeo lá no canal no quadro “Diário de uma deficiente visual”, especificamente no episódio 5.

Vamos falar sobre academia de ginástica.

Imagino que a maioria das pessoas que está lendo este texto frequente ou já frequentou uma academia na vida. Certo?  E cada um tem uma experiência; tem gente que adora, tem gente que odeia e tem gente que só vai porque precisa.

Para quem já frequentou ou frequenta sabe que, às vezes, fica complicado quando o professor some, quando gente deixa equipamento no chão, quando temos que revezar os aparelhos com alguém, e tantas outras coisas que acontecem lá, não é?

Mas vocês já pensaram o quanto estas coisas são ainda mais complicadas para um deficiente visual, seja ele cego ou com baixa visão?

Sabemos que, infelizmente, as academias não estão preparadas para lidar com este público, mesmo tendo muitas leis que colocam as pessoas com deficiência em nível de proteção e cuidado especial e a própria Constituição Federal assegurando a todas as pessoas igualdade de tratamento.

No entanto, ultimamente no meu caso a situação não está muito boa. Eu frequento a mesma academia a mais de cinco anos e, ultimamente, os monitores e professores estão “sumindo”. Eu entrego a ficha e depois não encontro mais com quem ficou. Aí tenho que ficar rodando toda a academia para achar a pessoa com a ficha, o que pode causar um acidente, já que, como já mencionei, as pessoas costumam deixar os equipamentos abandonados no chão.

Eu precisei brigar muito para fazer com que eles entendessem que eu precisava de um atendimento diferenciado e que eu não era uma aluna comum. Pois tudo que eu pedia era que me tratassem com a diferença que minha limitação visual traz para mim.

Infelizmente, o caminho para uma mudança mais duradoura e coletiva vai levar tempo e exigir muita “briga” por parte das pessoas com deficiência.

Se quiser, você pode ver o vídeo abaixo onde eu conto um pouco mais sobre a minha experiência.

Espero que tenham gostado do texto e comentem as experiências de vocês. Eu vou adorar saber. Até o próximo texto!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.